O que procura em "O PIRAQUARENSE"

quinta-feira, 2 de abril de 2020

Foto de enterro em Piraquara Gera Boatos e impactou a população.


Fonte facebook -autor desconhecido
Retratando o funeral de uma senhora que tinha  53 anos falecida, por insuficiência cardíaca, dia 01 de abril no Hospital de Clinicas - HC Curitiba, e enterrada em Piraquara no Cemitério Bom Jesus dos Passos, esta foto alvoroçou Piraquara nesta quinta feira (02). 

Em alguns perfis de redes sociais foram divulgadas como sendo a primeira morte de um Piraquarense por COVID 19, Piraquara confirma o primeiro falecimento por COVID 19 entre outros fakes.

Secretaria da Saúde do Paraná informou que  em CURITIBA ou PIRAQUARA não houveram mortes por conta do COVID 19 (Fonte: Gerenciador de Ambiente Laboratorial (GAL) / DAV / SESA-PR)

A Funerária Jardim da Saudade, responsável pelo  funeral, informou que por conta de terem sidos orientados pelo  Hospital e familiares, pois pairava a suspeita de uma possível contaminação,  adotou o protocolo da Organização Mundial de Saúde OMS.

"Todo o cuidado é pouco! A funerária não está economizando recursos para proteger seus colaboradores! Não queremos nossos funcionários contaminados ou que contaminem seus familiares ou a  população! (Jardim da Saudade por telefone).

A hora da despedida nunca é fácil para família. Além da dor da perda, dizer adeus também está mais difícil. A cada dia que passa, as restrições ficam maiores, e um simples abraço de consolação, tem que esperar.

"A maneira como está sendo divulgada e replicada essa foto é irresponsável! Uma falta de respeito para com os familiares! E não é hora de sensacionalismo! (disse a internauta Vanessa).

No entanto a irresponsabilidade na divulgação de fotos ou fatos sem as devidas precauções em dar as informações corretas podem levar ao caos toda uma cidade.

O necessário é filtrar as informações e  dar crédito aos meios oficiais de informação.

Quanto uso dos Equipamentos de Proteção Individual -  EPI, que aparecem sendo usados pelos agentes funerários o Ministério da Saúde publicou na noite de quarta-feira (25 de março) o Guia para o Manejo de Corpos no Contexto do Novo Coronavírus – COVID-19. O protocolo traz as recomendações de como devem ser realizados os funerais, o manuseio do cadáver nos hospitais, em domicílio e em espaço público. O documento serve para orientar as equipes de saúde de medicina legal e funerárias.

De acordo com o protocolo, os falecidos devido à COVID-19 podem ser enterrados ou cremados, mas os velórios e funerais de pacientes confirmados ou suspeitos da doença, que juntem muitas pessoas em um ambiente fechado, não são recomendados. Neste caso, o risco de transmissão também está associado ao contato entre familiares e amigos.

Por isso, a cerimônia de sepultamento deve ocorrer em lugares ventilados e, de preferência, abertos. Além disso, a recomendação é que contem com no máximo 10 pessoas, respeitando a distância mínima de, pelo menos, dois metros entre elas, bem como outras medidas de isolamento social e de etiqueta respiratória. Essa recomendação deverá ser observada durante os períodos com indicação de isolamento social ou quarentena pelo gestor local ou federal.

O protocolo recomenda ainda que seja evitada a permanência de pessoas que pertençam ao grupo de risco: idade igual ou superior a 60 anos, gestantes, lactantes, portadores de doenças crônicas e imunodeprimidos. Além disso a presença de pessoas com sintomas respiratórios também deve ser evitada como, por exemplo, febre e tosse.

Os Protocolos visam garantir a segurança de quem manipula o corpo e também de toda a população. O agente funerário terá que usar determinados equipamentos de proteção e descarta-los de maneira correta

A Pedido de leitores informamos que não se trata de familiar do servidor da Prefeitura de Piraquara.

Que fique claro a matéria esta ilucidando um FAKE.



Um comentário:

  1. Muito bem reportado Antônio,sou agente funerário aqui de piraquara,ontem acompanhamos os familiares dessa senhora pois era pra ser na funerária que trabalho para fazer os trâmites porém por burocracia da triagem de Curitiba fomos obrigados a passar o funeral para a funerária Jardim da saudade por ser de Curitiba,aproveito para fazer uma crítica aos hospitais de nosso região,chegou para nós o óbito constando o falecimento por insuficiência cardíaca,graças a Deus não fizemos a remoção do HC que era pra acontecer por volta das 17:00,porém o fato que venho criticar é que por volta da 18,30 Que ligaram pra triagem reportando que a falecida estava com suspeita!Isso nos assusta pq temos que ser informados da suspeita ou a confirmação de covid antes da remoção e preparação do corpo e não depois como aconteceu nesse caso.
    Hoje mesmo estou preocupado pois tivemos contato com os familiares dela sem ter nenhuma chance de se precaver da pandemia,temos que ter mais informações pois somos nós que fazemos o último trabalho com a pessoa afetada.

    ResponderExcluir

Deixe sua opnião