O que procura em "O PIRAQUARENSE"

sábado, 4 de abril de 2020

Adoção de quatro patas tem sido alternativa em tempos de solidão na quarentena

Tavares e seu cãopanheiro Benji. Foto: arquivo pessoal.
A pandemia do coronavírus tem distanciado as pessoas, já que o isolamento social tem sido recomendado para evitar a disseminação da doença. Mas, por outro lado, a quarentena tem criado novas amizades, fiéis e verdadeiras. Foi assim que aconteceu com o pintor Gilberto Tavares de Souza, de 47 anos, morador de Piraquara. Com a ajuda da ONG Força Animal, seu Tavares tem agora um novo amigo – de quatro patas.

O pequeno vira-lata Benji foi resgatado quando tinha quatro anos de idade e há dois anos vivia no abrigo da ONG Força Animal. Magro, com os pelos embolados e cheio de parasitas, Benji foi encontrado abandonado na região metropolitana. “Resgatamos cães eventualmente com sequelas, pois trabalhamos com emergência. São animais sem perninha, sem olhinho. E de ontem para hoje tivemos muitas adoções, coisa que é difícil”, explica Danielly Savi, presidente da ONG.

Para Danielly, a alta na procura de animais nos últimos dias tem sido motivo de esperança, pois a organização conta atualmente com 300 animais, entre cães e gatos, para adoção. “Cada animal adotado é um espaço a mais para resgatarmos e salvarmos mais um”, salienta ela.

Salvo pela organização, o cachorro parece que retribui a ajuda que recebeu fazendo vida do pintor Tavares mais feliz. Vindo de Maringá, interior do estado, o autônomo procurou a companhia de um bichinho para os próximos dias em boa companhia. “Eu acabei de me separar. E como eu estou sozinho agora, ainda mais com esse isolamento social, eu resolvi que queria adotar”, conta ele. Com a ajuda de um amigo, Tavares conseguiu o contato da ONG e a Danielly mandou algumas fotos dos cachorros que estavam no abrigo.

“Quando ela me mandou uma foto do Benji, com uma carinha de coitado, eu sabia que seria ele. Ela me deu todas as informações, me fez várias perguntas e trouxe ele até aqui”, disse. E nos últimos dias, o animalzinho tem sido motivo de alegria. “Ele está me fazendo muito bem. Eu percebo que ele é que nem eu, judiadão. Veio a calhar, é parceirão, sabe? Foi uma benção”, comemora. Para o pintor, ter encontrado o Benji foi sorte. Diagnosticado com depressão, Tavares encontrou um novo motivo para sorrir.

A Rede de Proteção Animal, da Prefeitura de Curitiba, está apoiando a adoção de cães e gatos nesse período de quarentena. “Pode ser uma oportunidade interessante para ajudar o pet a se adaptar ao novo ambiente”, explica o diretor de Pesquisa e Conservação da Fauna da prefeitura. Atualmente, o Centro de Referência para Animais em Situação de Risco (Crar) tem mais de 35 pets vacinados, desverminados, castrados e microchipados.

Para quem quiser um novo amiguinho em tempos de isolamento social, pode conhecer os animais pelos posts da página da Rede e agendar uma visita para conhecer os bichinhos pessoalmente. A adoção é feita após assinatura de um termo de compromisso. A ONG Força Animal também oferece animais castrados, vacinados, desverminados e com atestado de boa saúde.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe sua opnião